Caso não consiga visualizar esta mensagem corretamente clique aqui.
BOLETIM DE LANÇAMENTOS JANEIRO 2009
CONFIRA NO SITE!

• Em O diário de Bernardina, a filha de Benjamin Constant conta os bastidores da instauração da República. Leia aqui o que Celso Castro , um dos organizadores, fala sobre a seleção de documentos e a confecção das notas que percorrem a obra.

• Lançado em 1937, O Convento Santo Antônio do Rio de Janeiro é uma obra de referência. A história do monumento se mistura com a da cidade. Em entrevista, frei Róger Brunorio, ofm, responsável pela nova edição, fala da importância do livro.

Uma senhora toma chá revela a revolução que a estatística provocou na ciência. Veja o que a imprensa estrangeira disse sobre a publicação.

• Você sabe que o grande cientista social Wright Mills (1916-1962) era apaixonado por motocicletas? Leia aqui mais curiosidades sobre a vida do autor, cuja coletânea Sobre o artesanato intelectual e outros ensaios chega esse mês às livrarias.  
  

E mais:
Conheça uma importante ferramenta de pesquisa, o Google Book Search. Poderão ser consultados e lidos (parcialmente) cerca de 300 títulos, das mais diversas áreas. Ao fazer uma busca em nosso site, selecione o tema de seu interesse e marque a opção "nos livros".  Participe ainda da enquete do mês: Leitura para você é...

LANÇAMENTOS

Brochura
16 x 21 cm
120pp
ilustrado
R$ 29,00

ISBN:
978-85-378-0119-2

Nas livrarias:
20/1/2009


Organização, introdução e notas:
Celso Castro e
Renato Luís do Couto Neto e Lemos


NO SITE

Bernardina tinha 16 anos em 1889, ano da proclamação da República,   e mantinha um diário onde anotava sua rotina: as tardes ocupadas pela costura e a movimentação de sua família. A menina, porém, era filha de Benjamin Constant, um dos principais líderes do movimento que levou à instauração da República no Brasil, em 15 de novembro daquele ano. Enquanto registrava a típica vida das jovens brasileiras no fim do século XIX, ela contava os bastidores de um dos mais importantes acontecimentos do país. O diário de Bernardina é uma preciosidade histórica. Sua inédita publicação, contendo o que se preservou dele, é resultado de um cuidadoso trabalho de pesquisa.

• Acompanha quase cem notas explicativas e a reprodução de fotos e documentos.
• Organização, texto de introdução e notas: Celso Castro e Renato Lemos


7 de novembro [quinta-feira]

“Tio João veio hoje da Jurujuba. O Benjamin amanheceu melhor e foi ao colégio. (...) De noite estiveram aqui o sr. Quintino Bocaiúva e dois oficiais que vieram falar sobre a questão militar.”



BERNARDINA BOTELHO DE MAGALHÃES era filha de Benjamin Constant. A parte que foi preservada de seu diário começa no dia 7 de agosto de 1889, quando o pai era um tenente-coronel do Exército que lecionava matemática numa escola militar do Império, e termina quando Benjamin é ministro de Estado do primeiro governo republicano.

SOBRE OS ORGANIZADORES:
Celso Castro e Renato Lemos, doutores em antropologia social e história, são especialistas no contexto histórico em que foi escrito O diário de Bernardina.


LEIA TAMBÉM:

Os militares e a República
Celso Castro
208pp, R$42, coleção Antropologia Social


Inverno na manhã
Janina Bauman
236pp, R$44, ilustrado

Forças armadas e política no Brasil
José Murilo de Carvalho
224pp, R$ 45,50, coleção Nova Biblioteca de Ciências Sociais

 

coleção Ciência da Vida Comum

Brochura
16 x 23 cm
288pp
R$ 49,90

ISBN:
978-85-378-0116-1

Nas livrarias:
13/1/2009


Tradução:
José Maurício Gradel


NO SITE



Os leitores se deliciam... com a história da ciência do século XX, desce como leite misturado ao chá.
The Dallas Morning News


Uma leitura intrigante do começo ao fim. O autor conta como a estatística transformou radicalmente os métodos de pesquisa na ciência, aumentando a credibilidade da investigação em diversas áreas, tais como: medicina, política e publicidade.Tudo escrito de forma acessível, partindo de resumos biográficos como o que inspirou o título dessa edição, quando um grupo de professores ingleses estava reunido no fim de 1920 para tomar chá numa tarde de verão. O assunto se voltou para uma pergunta curiosa: o gosto muda de acordo com a ordem em que o chá e o leite são colocados? Essa simples questão resultou em um estudo pioneiro na área. Você vai descobrir como a estatística se transformou na maior revolução científica do século XX e perceber como está presente nos mais diferentes campos de nossas vidas.

E mais:
• O autor escreveu um prefácio especialmente para a edição brasileira, com os desenvolvimentos da estatística no nosso país.


DAVID SALSBURG, estatístico e farmacêutico industrial, ensinou nas universidades de Cambridge (Trinity College), Connecticut, e Pensilvânia. Autor de livros de sucesso, é membro da American Statistics Association.
LEIA NA MESMA COLEÇÃO:

De cabeça aberta
Conhecendo o cérebro para entender a personalidade humana
Steven Johnson
224pp, R$39,90, ilustrado


Por que o bocejo é contagioso?
E outras curiosidades da neurociência no cotidiano
Suzana Herculano-Houzel
180pp, R$34,50

A evolução das coisas úteis
Clipes, garfos, latas, zíperes e outros objetos do nosso cotidiano.
Henry Petroski
308pp, R$59,ilustrado
 

Brochura
16 x 23 cm
341pp
R$ 49,00

ISBN:
978-85-378-0115-4

Nas livrarias:
6/1/2009



NO SITE


A história da Igreja e do Convento Santo Antônio do Rio de Janeiro, cuja construção começou em 1608, se confunde com a da própria cidade. Há 400 anos, o belíssimo conjunto arquitetônico do largo da Carioca, no Centro do Rio, abriga gerações de franciscanos. O leitor vai descobrir como esses religiosos enfrentaram as invasões francesas. Como deram conforto a Tiradentes a caminho da forca e por que a cela de um frei serviu de palco para as conspirações a favor da Independência do Brasil. E vai saber também como a congregação sobreviveu aos efeitos da Segunda Guerra Mundial e como foi a transformação de uma parte do convento em ateliê para o famoso pintor Victor Meirelles. Uma obra de referência, de 1937, que chega atualizada pelo frei Róger Brunorio, ofm, com notas, nova bibliografia, glossário e fotografias recentes.


FREI BASÍLIO RÖWER (1877-1958) nasceu em Neviges (Alemanha) e era alfaiate em sua terra natal. Com 17 anos embarcou para o Brasil e chegou ao Recife junto com religiosos. Recebeu o hábito franciscano em Salvador e foi um dos pioneiros da música sacra no país. A Universidade São Boaventura, de Nova York, concedeu-lhe doutorado honoris causa. Morreu aos 80 anos no Convento Santo Antônio do Rio de Janeiro, onde passou a maior parte de sua vida.
LEIA TAMBÉM:

De olho na rua: A cidade de João do Rio
Julia O’Donnell
204pp, R$39, ilustrado, coleção Antropologia Social



O Rio de Janeiro setecentista
A vida e a construção da cidade da invasão francesa até a chegada da corte
Nireu Cavalcanti
452pp, R$68, ilustrado


O Rio de Janeiro dos viajantes
O olhar britânico (1800-1850)
Luciana Martins
216pp, R$49,90, ilustrado
 

coleção Nova Biblioteca de Ciências Sociais

Brochura
14 x 21 cm
96pp
R$ 29,00

ISBN:
978-85-378-0114-7

Nas livrarias:
27/1/2009


Tradução:
Maria Luiza X. de
A. Borges

Introdução e organização de
Celso Castro


NO SITE


Wright Mills foi um dos mais importantes cientistas sociais americanos do século XX. Analisou a sociedade em que vivia em livros que se tornaram famosos. Em A imaginação sociológica (1959), publicou um apêndice que se tornou um de seus textos mais procurados pelos estudantes: "Sobre o artesanato intelectual". É esse o ensaio que abre a presente coletânea, que inclui ainda um trecho de A nova classe média, uma palestra inédita em português, um texto de A imaginação sociológica, e uma carta escrita no Brasil, em 1959, quando participou de um seminário no Museu Nacional do Rio de Janeiro. Para os que buscam transformar seu ofício de cientista social numa verdadeira aventura intelectual e existencial, essa é uma leitura obrigatória e rejuvenescedora.


O conhecimento é uma escolha tanto de um modo de vida quanto de uma carreira; quer o saiba ou não, o trabalhador intelectual forma-se a si próprio à medida que trabalha para o aperfeiçoamento de seu ofício.”
C. Wright Mills



C. WRIGHT MILLS (1916-1962) teve sua obra extensamente publicada no Brasil pela Zahar Editores nas décadas de 60 e 70. Foi professor de sociologia das Universidades de Maryland e Columbia. Publicou livros como A nova classe média e A elite no poder. O autor era apaixonado por motocicletas e motores, a capa do livro mostra Mills com sua moto BMW, na qual ia para a universidade todos os dias.
LEIA TAMBÉM OUTROS CLÁSSICOS DAS CIÊNCIAS SOCIAIS:

Questões fundamentais da sociologia
Georg Simmel
120pp, R$28

Outsiders
Howard S. Becker
232pp, R$39,90, coleção Antropologia Social

Cultura e razão prática
Marshall Sahlins
232pp, R$41, coleção Antropologia Social

Antropologia cultural
Franz Boas
112pp, R$28, coleção Antropologia Social
Mais vendidos Dezembro 2008
1. O vinho mais caro da história
Benjamin Wallace
6. A sociedade individualizada
Zygmunt Bauman
2. Guia ilustrado Zahar de filosofia
Stephen Law
7. Conversas com Almodóvar
Frédéric Strauss
3. O Conde de Monte Cristo
Alexandre Dumas
8. Uma maçã por dia
Joe Schwarcz
4. O homem que roubou Portugal
Murray Teigh Bloom
9. Uma temporada no inferno com os Rolling Stones
Robert Greenfield
5. Guia ilustrado Zahar de vinhos franceses
Robert Joseph
10. Guia ilustrado Zahar de cinema
Ronald Bergan
Alguns destaques da Zahar na imprensa (clique para ler as matérias na íntegra)
16/11/2008 - Estado de Minas
05/12/2008 - Jornal do Brasil
06/12/2008 - O Globo
02/12/2008 - O Globo
05/12/2008 - O Globo
Caso não queira mais receber nosso informativo,
simplesmente responda a esta mensagem indicando no assunto REMOVER
JORGE ZAHAR EDITOR    Tel.: (21)2108-0808 / Fax: (21)2108-0000    jze@zahar.com.br    ©2008