Livros  >>  Ciências Sociais










Detalhes:
Brochura
14X21 cm
228pp
R$ 44,90

Data de Lançamento:
17/1/2013

ISBN:
978-85-378-0938-9

Tradução:
Carlos Alberto Medeiros


Outras áreas: Administração
Artes
Biografias
Ciência
CIÊNCIAS SOCIAIS
Cinema
Coleções
Coleções de Bolso
Comunicação
Dicionários
Economia
Educação
Filosofia
Gastronomia
Geografia
História
História em Quadrinhos
Infantil
Juvenil
Letras
Literatura
Música
Policial
Política
Psicanálise
Psicologia
Teatro
TV
Variedades
Danos colaterais
Desigualdades sociais numa era global
> Entrevista exclusiva: Zygmunt Bauman

Como poderíamos aplicar esse conceito dos danos colaterais na análise da sociedade contemporânea?
Danos colaterais, um conceito formulado em círculos militares para designar as vítimas não intencionais (inocentes) das operações militares, captura, na minha opinião, traços mais gerais da condição humana na desorganizada, fragmentada e individualizada sociedade atual – marcada pelo divórcio entre poder (a habilidade em ter as coisas feitas) e política (a capacidade de decidir sobre que coisas devem ser feitas). Em todas as áreas da vida nós podemos nos deparar com não planejadas e o não antecipadas (ou nos desculpar alegando inevitabilidade, se antecipado) vítimas de ações que visavam ostensivamente outro alvo, sem conexão e aparentemente distante. Essa situação aumenta consideravelmente um clima de ansiedade em relação a ameaças difusas e incertas...

A ideia de que os indivíduos são responsáveis pelos seus destinos e tem como construir uma vida melhor para si é recorrente nos dias de hoje. Pensar os danos colaterais sob esse prisma significaria mudar o estado das pessoas de vítimas para culpadas?
Você tem uma questão aqui e bastante importante! Todos nós somos “indivíduos por decreto”, o que supõe estar em controle de nossas próprias vidas e, assim, sendo completamente responsáveis pela nossa boa – ou má – existência, que, presume-se, seja resultado de nossos esforços ou da ausência de esforços adequados. Se tropeçarmos e cairmos, não temos ninguém a quem culpar além de nós mesmos... Isso, claro, é uma mentira – já que poucos entre nós, se não nenhum, podem ter um verdadeiro controle em relação as circunstâncias sobre as quais depositamos nossas metas e intenções, então a culpa da falha é, na verdade, compartilhada. Nós somos indivíduos “legalmente”, mas não “de fato”. Os onipresentes “danos colaterais” têm a maior responsabilidade pela largura desse, algumas vezes, intransponível fosso entre estes dois estados.
PESQUISE NO CONTEÚDO DOS LIVROS
powered by Google
LINKS
> > A Universidade de Leeds inaugurou em setembro de 2010 o Bauman Institute, em homenagem ao sociólogo, professor emérito da instituição. Saiba mais.

> > Mais detalhes sobre a obra do autor no site da Universidade de Leeds.

CONFIRA TAMBÉM!
> Em entrevista exclusiva, Bauman reflete, entre outras coisas, sobre os danos colaterais da sociedade contemporânea.

ZAHAR    rua Marquês de São Vicente 99 – 1º andar, Gávea, Rio de Janeiro, RJ, Brasil   22451-041   Tel.: 21 2529-4750  sac@zahar.com.br  ©2007