Livros  >>  Literatura









Compre na Cultura
Compre na Saraiva
Compre na Livraria da Travessa

Detalhes:
Brochura
16 x 23cm
272pp
R$ 42,90

Data de Lançamento:
2/5/2012

1ª edição

ISBN:
978-85-378-0823-8

Tradução:
Maria Luiza X. de A. Borges


Outras áreas: Administração
Artes
Biografias
Ciência
Ciências Sociais
Cinema
Coleções
Coleções de Bolso
Comunicação
Dicionários
Economia
Educação
Filosofia
Gastronomia
Geografia
História
História em Quadrinhos
Infantil
Juvenil
Letras
LITERATURA
Música
Policial
Política
Psicanálise
Psicologia
Teatro
TV
Variedades
A Casa da Seda
> Entrevista exclusiva: Anthony Horowitz

Antes de escrever esse livro, qual era a sua relação com Sherlock Holmes e Arthur Conan Doyle?
Eu dei de presente de aniversário para o meu pai as histórias de Sherlock Holmes quando tinha 17 anos. Eu amo, desde sempre, não apenas o mistério e os assassinatos, mas a maravilhosa atmosfera dos livros. Minha história favorita é O signo dos quatro. Eu adoro a ideia de que o mal que começa na Índia pode chegar até os subúrbios de Londres (onde eu moro). Li as histórias duas ou três vezes desde então, sempre com muito prazer.

Na sua opinião, Sherlock Holmes é um personagem tão forte que pode viver mesmo sem o seu autor?
Sherlock Holmes é um dos poucos personagens ficcionais que é maior do que o autor que o criou. James Bond é outro. Tintin um terceiro. É interessante que Doyle tentou matá-lo nas quedas de Reichnbach. Ian Fleming tentou matar Bond duas vezes. E Hergé estava doente e farto de Tintin. E todos os três personagens continuaram a aparecer mesmo depois da morte de seus autores.

Qual foi a parte mais difícil de escrever como Conan Doyle?
A parte mais difícil foi construir uma história que fosse longa o suficiente (90.000) em palavras para os meus editores e para o público de hoje. Doyle escreveu quatro novelas com Sherlock Holmes, mas todas têm a metade do tamanho. Também tive que ser muito cuidadoso para ficar invisível. Eu queria que o livro ficasse como se tivesse sido escrito por Conan Doyle. Isso significava obedecer a todas as regras que Doyle estabeleceu em seus livros.

Como você obteve autorização do Conan Doyle Estate?
The Conan Doyle Estate decidiu criar um “selo de aprovação” para um novo escritor – e eles se aproximaram de mim através de um agente. Não tinha nenhuma intenção de escrever A Casa da Seda. Nunca me ocorreu que algum dia eu escreveria uma história de Sherlock Holmes. Mas fiquei muito feliz em ser sondado e demorou cerca de três segundos até eu dizer sim.

Você planeja escrever mais livros com Sherlock Holmes?
Não acredito que possa escrever uma história melhor do que A Casa da Seda, então, não farei uma sequência. Mas planejo uma história de mistério situada na mesma época e no mesmo universo – e Sherlock Holmes fará uma breve aparição. Infelizmente, não posso revelar mais nada!
PESQUISE NO CONTEÚDO DOS LIVROS
powered by Google
LINKS
> Visite o site do autor e saiba mais sobre ele.

CONFIRA TAMBÉM!
> Apaixonado por Sherlock Holmes, Anthony Horowitz nunca imaginou que um dia escreveria uma história com o detetive. Nessa entrevista exclusiva, o autor revela as dificuldades de seguir o estilo Conan Doyle e os seus planos para o futuro.

> O que a imprensa estrangeira disse sobre esse livro? Confira.

ZAHAR    rua Marquês de São Vicente 99 – 1º andar, Gávea, Rio de Janeiro, RJ, Brasil   22451-041   Tel.: 21 2529-4750  sac@zahar.com.br  ©2007