Livros  >>  Psicanálise

Antígona e a ética trágica da psicanálise
SINOPSE

Lacan recorreu à tragédia grega e não à filosofia para estabelecer o campo da ética da psicanálise. Antígona, a heroína trágica de Sófocles, é obrigada a decidir sozinha sobre o destino do corpo do seu irmão morto. Mesmo contra a proibição do rei de Tebas e sabendo que seria condenada à morte pela transgressão, ela decide sepultá-lo, seguindo a tradição e os costumes. A psicanalista Ingrid Vorsatz desenvolve um paralelo entre a decisão solitária de Antígona e o desamparo do sujeito, que deve se responsabilizar pelo próprio desejo, mesmo o inconsciente, ainda que o preço seja alto.

"Um dos mais importantes trabalhos publicados sobre a questão da ética da psicanálise. Elaborado com inteligência, clareza, rigor e invejável estilo literário, permanecerá sem dúvida como obra de referência obrigatória não apenas para os estudiosos da psicanálise, mas sobretudo para aqueles que se interrogam sobre o sujeito ético" Luiz Alfredo Garcia-Roza
PESQUISE NO CONTEÚDO DOS LIVROS
powered by Google
CONFIRA TAMBÉM!
> Em entrevista exclusiva, Ingrid Vorsatz explica as teorias que desenvolve ao longo do livro.

ZAHAR    rua Marquês de São Vicente 99 – 1º andar, Gávea, Rio de Janeiro, RJ, Brasil   22451-041   Tel.: 21 2529-4750  sac@zahar.com.br  ©2007